Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Viver com sentido

Existe mais para além do que nos contam..!

Viver com sentido

Existe mais para além do que nos contam..!

Dicas para descomplicar o modo como vemos a alimentação

       

 

        As dicas que vou dar vão parecer a coisa mais banal de sempre, e são. O que dá importância às coisas é o modo como decidimos encarar as situações. Só depende de TI. Para quê complicar ainda mais quando para nós já é complicado? Por vezes, o único truque é aprendermos a trabalhar de forma inteligente.

         Algumas dicas servem para o momento em que estejas perante alguma situação que seja um “trigger” (ex: um alimento, uma pessoa ou uma conversa) e que possa despoletar sensação de descontrolo. Já outras dicas, são para ires dando pequenos passos na tua Caminhada.  Resultado de imagem para emoji feliz           

Tomar consciência do que te causa compulsões

      Para mim, é a regra de ouro. Para fortaleceres as tuas fraquezas, tens que as conhecer! Toma consciência do que causou: Foi a pessoa? Estavas cansada e irritada? Foi um alimento em específico?

Apesar de custar, PENSA! Não queiras retirar a responsabilidade dos teus actos e culpando sempre o "mundo" e quando estiveres perante o teu ponto fraco diz para ti: "Não vou deixar que me controle”. Parece estúpido? Give it a try!

 

Nem sempre, nem nunca. Nem tudo, nem nada

       A segunda regra de ouro. Sem extremismos.

Não comeres algo em específico "sempre" mas também não deixares completamente de o fazer.

Não comeres tudo (ou tudo de uma só vez) mas também não comeres nada.

Se te fores permitindo pequenos momentos de satisfação espontânea, com o tempo provas a ti própria que realmente não teve qualquer impacto negativo e não te fez mal nenhum. Esqueçam essa história de “perdido por 100, perdido por 1000".

 

Pensa antes de agir

     Ok, já comes uma boa dose satisfatória mas queres mais. Muito mais. Sentes uma gula insaciável.

O truque aqui é voltares a perguntar a ti própria: “O mundo vai acabar por não comer tudo hoje?” – Não, podes comer noutro dia, não precisas de te descontrolar (isto é um efeito claro de mentalidades restritivas!). Então não, não comas até ficares mal disposta. Comes um pouco Hoje e outro tanto Amanhã e depois quando te apetecer.

 

Aprende a dizer "Não"

      Algo muito importante e requer muito trabalho da nossa parte. Ter a coragem de dizer "não" quando realmente não queres, dificil. Implica que estejas a "bater-o-pé" por aquilo que acreditas (standing for yourself and your opinion) mas também implica que saibas o teu VALOR e das tuas convicções. Vejam por perspetivas:

Exemplo:

- Sentes-te muito cansada, sabes que beneficiavas em retirar o dia para recuperar fisicamente (ou psicologicamente) mas é dia de treino e tu até gostas de treinar. Dizer  "não vou" custa-te porque acreditas que é um treino que vai ter impacto. Lá no fundo (não muito no fundo, na verdade), só demonstra o que pensas sobre ti - não estás segura sobre o que tu és. Ninguém está a apontar se vais ou não treinar! É o treino que te dignifica? 

- Aprende a dizer "não" em situações que requeiram comida - sejam para "mais" ou para "menos". Numa situação em que te apetece descontrolar (pelas razões já referidas várias vezes), precisas mesmo de o fazer? Não. Precisas mesmo de comer mais uma fatia de bolo, mais uma pratada de sushi ou precisas mesmo mesmo de terminar a pizza, mesmo quando já estás cheia? Não.

Não tens que provar nada a ninguém a não ser a ti e dizer que "não" é algo dificil. Da mesma forma, este exemplo serve para quando estiveres perante uma oportunidade em que até podes comer "menos" (ex: "Vou ficar-me só pela saladinha). Precisas mesmo de o fazer? Não podes disfrutar de algo mais? Precisas de ser tão dura contigo mesma? Não.

        Há uma diferença entre ser disciplinada e saber o nosso valor.

 

Deixar saborear

      A verdade é que o que é bom acaba depressa e se vão comer algo que adoram mas que vos pode causar alguma sensação de culpa ou despoletar alguma compulsão, tentem utilizar este truque! Dou o meu exemplo de quando vou comer a minha fatia de bolo preferida – Já o meu namorado acabou e eu ainda tenho ¾ da fatia ehehe

Eventualmente, acabo por me sentir saciada e sem vontade de comer outra fatia gigante e o que se podia tornar num episódio de "comer por impulso" é apenas um momento de satisfação.

 

Partilhar as sobremesas

       Apetece-te alguma coisa para matares o “bichinho”? Porque não uma miniatura da tua pastelaria favorita a acompanhar uma sandes? Ou então porque não partilhar uma fatia do bolo com o teu namorado, com a tua mãe/amiga ? Certifica-te apenas que ficas com a maior parte ehehe

 

A saga dos pratos de sobremesa

        Os olhos também comem e enganá-los é arte. Vejo que muita gente utiliza pratos de sobremesa para refeições normais... Ora, por onde começar..? Pratos de sobremesa servem para isso mesmo, para as sobremesas e são mais pequenos por alguma razão. Ao utilizarem constantemente pratos de sobremesa para refeições (uma forma de se enganarem) acontece duas coisas:

  1. Começam a perder a noção do que são quantidades equilibradas porque estão a comer de um prato de sobremesa... 
  2. Por alguma razão, quando comem fora de casa, não comem num prato de sobremesa. Estarem habituados a comerem num prato mais pequeno só vos cria MEDO quando utilizam um prato normal porque deixaram de ter noção do que é equilibrado e vão achar que estão a comer a mais – o mais provável é não estarem.

         

(Não) encher o prato com vegetais

     Legumes e vegetais... Já estamos fartas de saber que é bom e saudável blablabla tudo bem, e são! Simplesmente não façam disso a maioria da vossa alimentação ou, por outro lado, não se encham de folhas e folhinhas para não comerem outro tipos de hidratos e muito menos para depois poderem comer mais sobremesa.

 

Espero que ajude em alguma parte da vossa Caminhada!

 

2 comentários

Comentar post