Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Viver com sentido

Existe mais para além do que nos contam..!

Viver com sentido

Existe mais para além do que nos contam..!

Pílula e os seus efeitos corporais

 

  A PÍLULA ENGORDA??

 

 Para começar, existem diferentes tipos de contracepção. Neste post será abordado a pílula - O COC (contraceptivo oral combinado) - por ser o método mais comum.

 Chama-se contraceptivo “combinado” porque tem dois tipos de hormonais - o estrogénio e a progesterona. Existem imensas marcas no mercado, variando na sua composição e DOSAGEM. 

 

 Relativamente aos efeitos secundários, estes estão descritos na bula de todas as pílulas, sendo que os mais comuns (podem acontecer 1 em 100 pessoas) são: dores abdominais tipo "cãimbras", sentir as mamas (é o termo médico correcto) doridas, cefaleias (dor de cabeça forte), estados depressivos, efeito coagulante... Mas os que assustam mais são "retenção de líquidos" e "ganho de peso".

 Na verdade, são os principais factores para as mulheres descontinuarem a toma da pílula, sem qualquer outro efeito secundário. Assim sendo, gostaria de começar por explicar algumas umas coisas de forma muito simples para perceberem o que realmente acontece no nosso corpo quando tomam a pílula.

 

  • Naturalmente, o nosso cérebro produz uma quantidade destas hormonas, autoregulando-se, fazendo com que durante o ciclo menstrual haja diferentes concentrações hormonais de estrogénio e progesterona. A pílula tem como objectivo manter os níveis destas hormonas em níveis constantes, inibindo que haja secreção hipofisária de LH e FSH (produção e secreção de hormonas importantes, entre outras funções). Desta forma, a ovulação é inibida.

 

  • Relativamente à retenção de água, está relacionada com o estrogénio e com a sua acção no nosso corpo, que pode estar associado ao aumento de gordura subcutânea. Mas nós já TEMOS NATURALMENTE ESTROGÉNIO NO NOSSO CORPO! A pílula não está a acrescentar até porque, como disse anteriormente, assim que tomas a pílula, o teu corpo "funciona" com níveis estáveis de estrogénio, portanto não há flutuações. Contudo, por ser um estrogénio sintético, pode ter efeitos diferentes.

 

  •  “Weight gain can occur as a result of increases in a combination of factors, including fat deposition, fluid retention or muscle mass.” –  ou seja, este aumento de peso que se pode verificar com a pílula não é nada mais que uma “combinação de factores” que não diferem em NADA do que já estamos habituadas a ouvir no mundo do fitness.

 

  • Dos diversos estudos que existem, é afirmado ser difícil identificar haver algum tipo de relação porque, para além das alterações de peso que ocorrem normalmente na adolescência e início da idade adulta, está PROVADO que NATURALMENTE, mulheres tendem a ganhar peso “over time” (naturalmente = quando não passamos a vida a controlar tudo relativamente à nossa imagem corporal).

 

  • Há um documento da Direcção-Geral da Saúde em que é dito explicitamente: “Alteração do peso ± pode verificar-se aumento de peso, geralmente associado ao aumento do apetite. É útil a sugestão de uma alimentação correcta e de exercίcio fίsico.” – Logo, já nos dá aqui uma dica importante de “pessoal.. não culpem a pílula pelas vossas atitudes”.

  

 Para além disso, muitas das mulheres que afirmam que ganharam inicialmente peso com a pílula, pouco tempo depois deixaram de a tomar, não dando tempo para o corpo adaptar-se.

 Vou dar um exemplo em que atiramos um “balde de água” para uma piscina, sendo que é a pílula um “balde de água” e a piscina o nosso corpo.

 - Se atirarem o tal balde de água para a vossa piscina e não derem tempo suficiente para que a “agitação” acalme (ou seja, o vosso corpo adaptar-se), então não podem realmente afirmar factos de que a "pilula engordou", porque apenas viram a agitação no seu pico, o que não significa que é real! 

 

 Algo muito importante de salientar é que NATURALMENTE, o corpo da mulher sofre muitas mudanças física, especialmente na adolescência (numa altura mais ou menos tardia, dependendo da mulher) e que muitas vezes coincidem com a altura em que se inicia a pílula, levando a falsas premissas!

 

Mas realmente causa grandes alterações corporais?

  Resposta mais correcta - DEPENDE, sendo que não podemos ignorar outros factores importantes a ter em consideração:

  • Tomar a pílula não causa directamente ganho de peso, sendo que até existe quem perca peso durante o período que toma contraceptivo
  • O possível ganho de peso é bastante VARIÁVEL de pessoa para pessoa, o que faz todo o sentido uma vez que diferentes mulheres apresentam genéticas diferentes, diferentes percentagens de massa gorda e, claro diferentes concentrações hormonais.
  • Existe evidência de que se a mulher apresentar maior percentagem de massa gorda quando inicia a toma da pílula, poderá ter maior facilidade em ganhar peso
  • Existe, mulheres que simplesmente têm maior propensão a retenção de líquidos, naturalmente.

 

Outros factores importantes :

  • Diminuir o nível de testoterona total e livre até 50% - responsável por, por exemplo, diminuir a líbido e pode ter algum impacto a nível de treino e perfomance, uma vez que leva a uma diminuição da força e ganhos musculares (o que importa maioritariamente para quem tem algum tipo de objectivo físico mais sério - para a comum mulher, esta pode não sentir qualquer tipo de repercussão, especialmente se adequar correctamente o tipo de treino e alimentação)
  • Pode ser utilizado no tratamento da Síndrome dos Ovários Poliquístico, exactamente por este efeito na diminuição da testosterona.

 

Relativamente a fertilidade após paragem do método contraceptivo:

  • Independentemente do tipo de contraceptivo utilizado, não existem problemas em engravidar ou riscos aumentados durante o parto

 

CONCLUSÃO:

 Os métodos contraceptivos não devem ser interpretados como algo "anti-natural" e que "faz mal ao corpo". Têm benefícios no tratamento da síndrome dos ovários poliquistos, na amenorreia, no controlo das dores menstruais, pode até ajudar na perda de peso através do controlo hormonal, pode ajudar a tratar acne e claro, previne gravidezes indesejadas.

 

 A mulher deverá procurar o profissional de saúde que a ajude a perceber qual o melhor método e dosagens para o seu corpo e pode até não acertar "à primeira" mas não significa que a pílula é algo a evitar!

 

Para quem acredita que vai "engordar", desde que tenham as BASES bem estabelecidas, ou seja, tenha uma alimentação cuidada e que pratique algum tipo de desporto, a pílula, por si só, não aumenta o peso nem faz com que aumento da “retenção” de líquidos. Ganhar ou perder peso está relacionado com o balanço no intake calórico, que são variáveis que a própria pessoa pode controlar e adequar.

 

 A pílula é uma medicação e a decisão de parar NÃO DEVE SER DADA por pessoas que não sejam da área tais como as amigas, pessoas que vocês seguem no instagram, PTs, atletas, nutricionistas.... Existem diversos casos em que a pílula é ESSENCIAL para a regulação hormonal!

 

  Portanto, a não ser que seja uma dosagem que não seja de todo adequada a vocês, não vão ocorrer grandes mudanças no vosso corpo e a desculpa de que “engordaram” não é da pílula.

 

 

 

Algumas citações que retirei de diversos estudos sobre a relação de COC com o ganho de peso

  • “ (...) a causal relationship between combination contraceptives and weight gain has not been established. Several mechanisms by which combination contraceptives could lead to weight gain have been hypothesized. In general, weight gain is due to an increase in one or more factors of fluid retention, muscle mass, and fat deposition”
  • “Estrogen has been associated with increased subcutaneous fat, especially in the breasts, hips, and thighs (Nelson 2007).” “(...) although it is unlikely that oral contraceptives would cause such weight gain”
  • “The possible causal association between combination contraceptives and weight gain is difficult to study for several reasons. During adolescence, some weight gain is developmentally normal and appropriate. Also, women tend to gain weight over time (Flegal 2000)”

 

 

HOLT VL; CUSHING-HAUGEN KL; DALING J. - Body weight and Risk of Oral Contraceptive Failure. The American Collage of Obstetricians and Gynecologists. Vol. 99. nº5, part I. Maio de 2002

GALLO MF et al. - Combinantion contraceptives effects on weight (review). Cochrane Database os Systematic Review. Issue 1; Art nº CD003987. 2014

MILSON I et al. -  Effects on cycle control and bodyweight of the combined contraceptive ring, NuvaRing, versus an oral contraceptive containing 30ug ethinyl estradiol and 3mg drospirenone. Human Reproduction Vol 21, nº9, pp. 2304-2311. 2006

LINDH I; ELLSTROM AA; MILSON I. - The long-term influence of combinated oral contraceptives on body weight. Human Reproduction, Vol 26, nº7, pp 1917-1947. 2011

LOPEZ LM et al. - Progestin-only contraceptives: effects on weight. Cochrane Database Systematic Review. 2013

 

2 comentários

Comentar post