Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Viver com sentido

Existe mais para além do que nos contam..!

Viver com sentido

Existe mais para além do que nos contam..!

Ir a uma pastelaria sem entrar em pânico

                                            

large.jpg No último post que fiz (*leiam aqui, é uma aprendizagem muito interessante*) falei sobre uma história verídica com a qual me identifiquei em muitos aspectos, tal como muitas de vocês e acredito que tenha servido um pouco de impulso para olharem para as vossas atitudes perante o que é consideram ser equilíbrio e "aproveitar a vida". Por vezes, precisamos de ver as coisas do lado-de-fora para nos "cair a ficha".

 As melhores formas de o fazer é ver como os outros em nosso redor agem. Gosto muito de fazer isso... De estar em lugares e ir olhando para as pessoas. Aprendo muito! Em especial, aprendo como muitas de nós (e eu também) temos agido há mais tempo do que devíamos. Ver com olhos de ver.. Refletir! Mas claro, hoje em dia já quase que não há tempo para carregar o Iphone até aos 100% quanto mais para estar com grandes reflexões. Por isso é que nem nos apercebemos do quão "fundo" estamos e apenas criticamos sem pensármos - "mas eu não faço exactamente isto ou parecido..?" 

   Pois bem... Este post não é sobre uma história nas pastelarias mas sim sobre a minha história.

 Seria hipócrita se escrevesse apenas em tom crítico e irónico, como se não tivesse quaisquer dificuldades, medos ou "macaquinhos". No meu caso, gosto de acreditar que tenho uma visão crítica, não porque sou melhor/superior a vocês mas sim porque vivenciei e sei exactamente o que são estas histórias. Exactamente por tê-las vivido é que aprendi que sim - é possível não ser sermos "só isso". Mas custou!

  E requeriu muito trabalho que é difícil e aí vem o cliché de que "nada do que vallha a pena é fácil e chega depressa". Requer que tenham esperança mas requer ainda mais que não se deixem ficar por aí... Essa ideia e postura na vida é muito bonita e cor-de-rosa. Portanto, no fundo sabemos que o "Amanhã" é apenas uma desculpa para iremos adiando o "meter mãos à obra" porque é realmente difícil e implica sairmos do nosso "conforto" que não é nada confortável e vocês não estão assim tão bem.

  "Amanhã será melhor. Amanhã sou melhor. Amanhã faço melhor" Atenção.. Porque todas o "nosso tempo" e, realmente, o Amanhã virá.. Mas vivemos de muitos "amanhãs" para o que é difícil.. E depois.. Oh bolas, "realmente já passou muito tempo e eu sempre nisto.."

  Esqueçam o Amanhã. Começa HOJE com a esperança de que AMANHÃ será melhor porque EU FIZ por isso.

 

  Ok.. Já me estava a desviar da minha história com as Pastelarias.  

 Não há muito tempo atrás, eu olhava a nutrição e o treino de forma totalmente diferente de agora. Simplificando: Uma alimentação equilibrada era, para mim, o mesmo que é para muitas de vocês agora. Comer "limpinho", muitos alimentos integrais, diversas regras e restrições e "acreditava" em todos os mitos, balançando a minha alimentação ao som do que estava na "moda" como fit - vocês sabem tão bem quanto eu.

  Treinar? Sempre pratiquei desporto e adorei exercício. Há uns tempos atrás encarava ter "O" corpo como o "O" meu objectivo (a expressão "culto do corpo" é tão real) e achava que seria mais feliz e que me iria sentir melhor assim porque também toda a gente já sabe que é importante estar bem connosco a nível físico e gostarmos do que vemos ao espelho. Treinar no mínimo 5x semana, sem falhas, sem mimimi porque... "pain is gain" lol

      Portanto, desviar-me do padrão seria algo raro (ir a uma pastelaria), pelo que passei por diversas fases:

  • Não ia de todo a pastelarias lanchar.. Se eu tinha o meu "lanche fit", não há desculpas para ir!
  • Ia a pastelarias, bebia um café/chá.. Mas nunca em alturas que tivesse fome (por exemplo, ao lanche). Dizia que não me apetecia nada e  acompanhava as pessoas mas apenas ficava a olhar... e a babar - "oh quem me dera comer só um bolinho" - como se alguém me estivesse a impedir.. Ah, alguém estava mesmo! Eu.
  • Voltei a não ir a pastelarias porque ia colocar-me numa posição em que eu ficava triste porque não conseguia comer o tal bolo (seja o que for) e chateada comigo porque sabia que era eu que não me permitia.. Então dispensava ir - este comportamento é apenas uma forma de fugirem e de encararem o problema que são vocês, as vossas próprias atitudes e o quão punitivo pensam.
  • Voltei a ir a pastelarias. Na hora do lanche comia um bolo ou uma/duas miniaturas.. Nada mais! Mas um bolinho ou 1-2 miniaturas não sacia ninguém, não em termos de "gula" mas sim realmente em termos nutritivos! Mas já tinha comido o bolo... A "asneira" já estava feita. A coisa piora com o tempo, uma vez que vamos sendo mais restritivas e assertivas e a gula aumenta. Facilmente o que era uma-ou-duas bolachas, tornava-se num momento de "que se lixe!". Ou seja, deixei de fazer uma refeição nutritiva em que podia acrescentar o tal "miminho" para fazer do "miminho" a refeição.  E é aqui que muitas de vocês se enquandram.. Ao rotularem os alimentos, rotulamLOGO a vossa postura perante os alimentos. 

  Não me contentei com esta minha atitude porque é cansativo e vocês sabem que sim. Dizia e tentava convencer-me de que era flexível porque "come-se mais aqui logo tira-se mais ali" e iria compensar.

  Pensem assim: Se vocês estão numa piscina e atiram para dentro um balde de 15L... Vão haver cheias? Não, momento depois está de volta ao mesmo nível. 

  Então o que eu fiz? Apliquei esse princípio dos "baldes de água". Por mais difícil que seja acreditar, precisei de ir atirando baldes de água para a minha piscina.. Não todos os dias, mas ir atirando e ver o que acontece..

  Ao princípio com medo, não vá haver alguma cheia e eu não conseguisse controlar.. Mas tive que lançar um balde de cada vez, esperar que a "onda de agitação" acalmasse para perceber o que REALMENTE se passou. Se eu tivesse logo entrado em pânico com a primeira "onda de agitação" então nunca, mas nunca iria perceber o que daí advinha. Olha que engraçado! Não houve cheias e voltou tudo ao mesmo!! Portanto e finalizo.. Como é a Carol agora?

  • Não deixo de ir a pastelarias (ou a lado algum) porque esteja onde estiver, há sempre muitas opções e se não houver para vocês, tal como já disse.. Sim, vocês estão a ser muito restritas porque VOCÊS QUEREM. Mas no que se traduz isto na minha história?
  • Estar mais alerta para os meus comportamentos, em especial quando sinto que estou a ser mais rígida e punitiva, é exactamente quando me "forço" a "atirar um balde de água" para ver se acordo... Ou seja - se começar com coisas de "melhor não comer este fatia/bolo/bolacha/whatever" é exactamente quando como. Volto à realidade e PERMITE-ME que ao longo dos tempos vá comendo com mais e mais moderações.
  • Posso afirmar que já não tenho grandes gulas ou ganâncias porque, a partir do momento em que deixei de ser restrita e de tentar (des)compensar em algum lado, não tenho a postura mais frequente de se ver - "aproveitar (leia-se "estragar-me") até não mais" - ao qual se segue Self-hate/Body-hate com um pensamento sobre o momento de fraqueza relativamente à alimentação e à perda de controlo, acreditanto que "Amanhã será melhor" só porque eu acredito que sim. 
  • Não treino para comer... Muitos menos "eu treino, eu posso". Eu posso porque eu quero, treine ou não. Equilíbrio começa a ver-se a longo prazo e os resultados físicos acompanham. 

  Não deixo de fazer as minhas refeições nutritivas e sim, disfruto das minhas miniaturas! E podem ver isso a partir do partilho pois é aquilo em que acredito - o verdadeiro equílibrio não se vê no que comem e não se vê no que dizem que fazem (lamento, mas cada um diz o que quiser) mas sim no que vocês pensam e como agem.

  Se é difícil? mais uma vez. SIM É. Se é possível? Só depende de vocês e começa por olharem para as vossas atitudes de forma crítica